Sindsaúde cobra melhorias para trabalhadoras do Hospital Infantil de Fortaleza

126
Reunião com gestores do Hospital Infantil de Fortaleza

As diretoras do Sindsaúde Ceará, Silvânia Lopes e Adriana Moura, participaram nesta quarta feira,16/09, de reunião com a gestão da Organização Social – SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina) para tratar das demandas e denúncias que foram encaminhadas ao Sindsaúde através das mídias sociais.

Esta foi a segunda reunião para tratar sobre as insatisfações dos trabalhadores desta OS lotados no Hospital Infantil de Fortaleza. No primeiro encontro, a secretária adjunta da saúde de Fortaleza, Ana Estela, acompanhada da representante da gestão da OS, Priscila, receberam as queixas e ficaram de trazer respostas nesta segunda reunião.

Desta vez, além da diretora da OS, Priscila, participou o diretor do Hospital Infantil de Fortaleza, Assis Maia, que apresentaram algumas das respostas solicitadas pelo Sindsaúde. Além do Sindsaúde, também participaram da reunião o Sindifort e Sasec.

Quanto às técnicas de enfermagem estarem exercendo função de maqueiras, mesmo sem habilidade para isso, os gestores afirmaram que vão contratar um maqueiro.

Quanto à limitação nas trocas de plantão apenas por turnos iguais, os gestores informaram que as trocas já estão sendo feitas entre todos e novos ajustes estão sendo realizados.

Outra questão que estava incomodando os trabalhadores era a tolerancia de apenas cinco minutos de atraso no registro do ponto, já que são muitos trabalhadores para um único relógio de ponto.

Os gestores reconheceram o problema e se comprometeram a disponibilizar outro aparelho de ponto pra tentar sanar a questão da contingência. Eles foram orientados com relação ao tempo da tolerância dado aos servidores.

Quanto à exigência de fardamento, como roupas e sapatos impermeáveis, eles afirmaram que não há obrigatoriedade. O hospital só fornece jalecos aos profisfionais.

A diretora do Sindsaude, Silvânia Lopes, ressaltou que, de acordo com NR e com a convenção coletiva de trabalho, os gestores precisam fornecer o fardamento exigido.

Quanto à flexibilização do horário de trabalho, para atender necessidades do hospital, o diretor do hospital, Assis Maia, ficou de negociar com os trabalhadores a melhor resolutividade de acordo com a necessidade e disponibilidade.

Como encaminhamento desta reunião, as entidades sindicais ficaram de acompanhar a implementação das mudanças no regime adotado pela SPDM no Hospital Infantil, de acordo com as pautas das reuniões envolvendo esses temas, junto ao diretor geral do Hospital infantil Assis Maia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here