72 anos de luta. Faça parte dessa festa!

94


Aniversário pede festa! Por isso, o Sindsaúde decidiu comemorar os 72 anos de luta junto de pessoas queridas, com as melhores energias – os trabalhadores de nossa base, que são a razão pela qual existe o sindicato, representantes de outras categorias, pois precisamos sempre valorizar esta rede de solidariedade do movimento sindical, e pessoas que contribuíram para que a história do Sindsaúde fosse o que é: repleta de vitórias e significativa para os trabalhadores e a sociedade.


Nossa comemoração ocorrerá no Kukukaya, dia 30 de outubro, às 19h. Os convites para a categoria estarão disponíveis na sede do Sindsaúde nos dias 28 e 29.


Haverá o encerramento da campanha de sindicalização, com o sorteio de uma moto Honda CG 125 Fan, uma TV de Led 42’ e uma máquina de lavar Brastemp 10 kg.


Também teremos ato político, com a entrega da Comenda 72 anos de luta a personalidades identificadas com a história de luta do Sindsaúde.


Por fim, para sacudir todo mundo, show com a banda Dona Zefa, um quarteto que brinca com os mais variados ritmos e estilos da cultura musical brasileira e até mundial. O repertório é eclético, indo do forró pé de serra, ciranda, maxixe, carimbó, frevos, tangos, boleros, choros, sambas e até música clássica. Vai ser som pra ninguém botar defeito!


Revista Mulher D’Classe será lançada durante festa do Sindsaúde/CE


Fundada em 2012, a Revista Mulher D’Classe é uma produção da Secretaria da Mulher Trabalhadora da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB). A publicação constitui-se em mais um instrumento de luta das mulheres, surgindo com a intenção de pensar e debater o papel feminino nas lutas sindicais, movimentos sociais e política.


A edição de número 9 contou com colaboração do Sindsaúde Ceará e será lançada durante nossa festa de celebração dos 72 anos de luta. Nela, publicamos o artigo “O papel das mulheres nos 72 anos de luta do Sindsaúde Ceará”, além de anúncio rememorando a construção dessa trajetória combativa. “Em todos os momentos, é patente a atuação feminina. Desde a década de 1980, o sindicato é presidido por mulheres e a energia feminina compõe 73% da atual gestão”, ressaltou a presidente do Sindsaúde, Marta Brandão.


O Ceará também marca presença com o artigo “Luta classista – contra as práticas antissindicais”, da ex-soldado militar e sindicalista Ana Paula Brandão, diretora da Associação dos Profissionais em Segurança Pública do Ceará (Aprospec). Ela foi expulsa da Corporação e relata que, durante licença médica, sofreu coações para voltar a trabalhar. Ana Paula recebeu a solidariedade de diversos sindicatos, com ato realizado em frente à Junta Médica do Ceará no dia três de maio.


Entre outros temas, a revista traz ainda artigos, matérias e entrevistas sobre a importância da participação feminina, com viés de classe, na luta sindical, eventos de debate e como as mulheres se inserem nas lutas contra o preconceito de gênero, raça e orientação sexual.


 “A revista é de suma importância por mostrar as várias lutas ligadas à questão das mulheres trabalhadoras e a busca pela igualdade de gênero, em um contexto em que nós, mulheres, sofremos mais discriminação e assédio moral no ambiente de trabalho. A CTB e o Sindsaúde (que tem uma base formada majoritariamente por mulheres) trazem a questão à tona, salientando a urgência de ações que envolvam cada vez mais as mulheres do campo e da cidade, de todos os segmentos de trabalho”, enfatiza a diretora do Sindsaúde e secretária de Mulheres da CTB/CE, Marli Pereira.o repertório é bem eclético, indo do genuíno forró pé de serra, ciranda,maxixe,carimbó,frevos a música clássica.

Ritmos como tangos, boleros, choros e sambas, também fazem parte dessa mistura erudito-popular.