Agentes de combate a endemias continuam em greve em Pacajus

87

Os Agentes de Combate a Endemias de Pacajus, na Região Metropolitana de Fortaleza, estão em greve desde o dia 9 de fevereiro de 2015. Eles reivindicam o pagamento do piso salarial fixado em lei municipal, o adicional de insalubridade e equipamentos de trabalho.  


 


Com mais de 60 mil habitantes, Pacajus  é o único município da Região Metropolitana de Fortaleza que não paga adicional de insalubridade aos Agentes de Endemias, profissionais que ficam expostos ao risco de contaminação de doenças no exercício da profissão. O município de Pacajus tem 29 Agentes de Combate às Endemias (ACE) efetivos, mas o prefeito Marcos Paixão, do PT,  não tem demonstrado disposição para negociar, apesar da importância do trabalho dos ACE para a população.


 


No dia 13 de fevereiro, os agentes de endemias de Pacajus, sob o comando do Sindsaúde, promoveram manifestação em frente à igreja matriz. Na manifestação, estiveram presentes a Diretora do Sindsaúde, Marli Pereira, o Presidente da CTB, Luciano Simplício, e o diretor da CTB, José Teles. A vereadora Lívia Menezes(PCdoB) e o vereador João Eudes (PSDB) também marcaram presença na manifestação, declarando o apoio do legislativo de Pacajus às reivindicações dos ACE.


 


Uma reunião com o prefeito estava agendada para a última segunda-feira, 2 de março, para negociar as reivindicações, mas foi desmarcada na última hora pela Prefeitura, sem nova data para acontecer.


 


Com informações da Assessoria de Comunicação do Sindsaúde – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Ceará