Campanha Salarial 2013 terá nova reunião dia 13/6

97

Na próxima quinta-feira (13/6), haverá nova reunião entre Sindsaúde, Unimed Ceará e Sindicato Nacional das Cooperativas de Serviços Médicos (Sincoomed) para continuar a negociação da Campanha Salarial 2013. Geralmente, as negociações com a Unimed se estendem até o final do ano, mas neste ano começaram mais cedo e devem estar perto de terminar. Veja o quadro com a proposta de reajuste apresentada pelos patrões:

 









 

Novos pisos propostos

Pisos atuais

Auxiliar de Enfermagem

R$715,00

R$670,00

Auxiliar de Laboratório

R$750,00

R$670,00

Recepcionista/atendente

R$780,00

R$670,00

Técnico de enfermagem

R$805,00

R$700,00

Motorista socorrista

R$1.240,00

R$1.134,00

Tíquete alimentação

R$340,80

R$284,00

Auxílio creche

R$130,00

R$105,00

 

Sustente seu sindicato, não deixe os patrões intervirem!

Um dos maiores empecilhos para a celebração da Convenção Coletiva 2013 é a birra da Unimed Fortaleza contra a cláusula da taxa assistencial, um desconto de 3% do salário, que ocorre apenas uma vez por ano, quando fechamos a Convenção Coletiva. É cobrada de todos os empregados porque todos são beneficiados pela negociação empreendida pelo sindicato, ou seja, se conseguimos um ganho, isto vale para sócios e não sócios.

Em todas as Convenções e Acordo estabelece-se um prazo para que o empregado que não concorde com esta taxa faça a oposição, entregando ofício na secretaria do sindicato. Esta regra foi criada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, no entanto, a Unimed Fortaleza acha que pode se meter na relação entre empregados e sindicato, e quer que o processo de oposição fique por conta da própria empresa. Isso é uma prática antissindical, contra a liberdade de organização dos trabalhadores.

A Unimed Fortaleza ataca a taxa assistencial para matar o sindicato por “inanição”, deixando-o sem recursos para a luta. Para fecharmos a Convenção Coletiva, por exemplo, precisamos nos mobilizar durante meses, o que implica em gastos com notas, áudio para carro de som, material gráfico como cartazes, faixas, outdoors, assessoria jurídica e às vezes até anúncios em jornais. Quando fazemos toda essa mobilização obtemos vitórias, porque a Unimed Fortaleza teme pela própria imagem e só assim dialoga com os trabalhadores e Sindsaúde.

Não caia nessa cilada! Por conta de 3% hoje, uma única vez ao ano, você deixa de contribuir com o seu sindicato e no ano que vem pode ficar sem aumento salarial, pois como um sindicato fraco, sem recursos, irá afrontar a gigante Unimed Fortaleza? Quem tem de pagar pelo que utilizamos na luta somos nós mesmos, trabalhadores. Ou será que vamos esperar isso da empresa? Claro que não!


Sindicato forte tem recursos e é bancado pelos trabalhadores! Esteja do lado de quem luta!