Câncer de mama – O medo do diagnóstico

134

Para 50% das brasileiras, o temor de ser diagnosticada com câncer de mama é o principal motivo para evitar a mamografia. Esta é uma das conclusões de estudo inédito realizado no País, que mostra ainda como as mulheres lidam com a doença.

Metade das mulheres brasileiras não faz mamografia por medo de descobrir que estão com alguma doença, principalmente câncer. Outras 21% evitam o exame por vergonha. No Nordeste, este número sobe para 31%. Estas são algumas das conclusões do estudo Percepções sobre o Câncer de Mama, realizado pelo Instituto Avon/DataPopular e divulgado esta semana em Recife (PE).

O curioso é que o receio em realizar a mamografia persiste mesmo com 85% delas acreditando que câncer de mama têm cura e 93% afirmando que a detecção precoce significa mais chance de ter um tratamento bem-sucedido (veja gráficos nesta página).

A explicação para este comportamento aparentemente contraditório está em outros dados da pesquisa. Segundo o levantamento, duas em cada dez mulheres consideram o diagnóstico de câncer de mama uma sentença de morte. E 27% das entrevistadas declararam achar que “não suportariam o ‘baque’ de receber um diagnóstico desta doença”. Para 60% delas, o câncer é a pior doença que alguém pode ter.

Além disso, três em cada dez brasileiras acham que não estão sujeitas a ter câncer de mama (neste grupo, 56,2% acreditam que a doença tem caráter hereditário). Entre as nordestinas este índice chega a quatro em cada dez mulheres.

Percepção de causa

Aliás, a hereditariedade é apontada por 85% das entrevistadas que nunca tiveram câncer de mama como a principal causa da doença. Em segundo lugar neste ranking, aparecem os fatores emocionais (estresse, tristeza, mágoas, rancor), com 45%.

“Quando fizemos a sondagem sobre a percepção de causas de câncer de mama entre as mulheres que estão se tratando da doença temos uma mudança considerável”, pondera o sócio-diretor do Data Popular, Renato Meirelles.

Esta mudança é ascensão para os primeiros lugares dos fatores emocionais como principais causas: Tristeza, depressão e mágoas (54%); Estresse (48%) e Rancor, ressentimento e angústia (43%).

“Isso mostra que as mulheres se sentem culpada de ter câncer de mama e nos serve de alerta”, analisa Meirelles. “Ou se trata com leveza e naturalidade este tema ou corremos o risco de não ter diagnósticos precoces com medo de se culpar. Quanto mais pesado este tema permanecer, mais afastamos da sociedade brasileira a discussão necessária sobre o assunto”.

ENTENDA A NOTÍCIA

A pesquisa Percepções sobre o Cãncer de Mama aponta que 56% das mulheres que se curaram da doença se consideram vencedoras e 17% delas acham que “estão mais fortes para lidar com novas situações”.

Fonte: jornal O Povo