Candidatos focam na saúde pública

141

No primeiro debate televisivo, transmitido pela TV O POVO, portal O POVO Online e rádio O POVO/CBN, os candidatos priorizaram a saúde. Eles prometeram, principalmente, a melhoria do atendimento nos postos .

A gestão da prefeita Luizianne Lins (PT) foi o alvo de sete dos oito candidatos à Prefeitura de Fortaleza que participaram do primeiro debate televisivo, transmitido na noite de ontem pela TV O POVO. Em vez de cercarem aqueles com maior preferência do eleitorado, caso de Moroni Torgan (DEM) e Inácio Arruda (PCdoB), como apontam as pesquisas, as questões mais tensas foram direcionadas ao candidato da situação, o petista Elmano de Freitas.

A saúde pública foi assunto que predominou no debate. Considerada por mais da metade dos eleitores como maior gargalo de Fortaleza, segundo pesquisa O POVO/Datafolha, o tema pautou as promessas dos candidatos, que citavam as queixas da população sobre filas nos postos de saúde e sobre a espera por exames ou atendimento na atenção secundária.

A maioria dos candidatos prometeu, durante o programa, melhorar ou ampliar o atendimento dos postos de saúde. “Quero entregar ao povo de Fortaleza um sistema de saúde à altura de sua dignidade e necessidade. Minha primeira meta é não construir nada. É botar para funcionar o que não está funcionando”, afirmou sobre os postos de saúde Roberto Cláudio (PSB), candidato do PSB, ex-aliado do PT.

Heitor Férrer (PDT) reforçou a proposta de construir o segundo Instituto Doutor José Frota (IJF) e garantiu que vai estabelecer funcionamento de postos de saúde em três turnos. “Vamos reestruturar todas as unidades de saúde”. Inácio Arruda, destacou sua relação com o Governo Federal e prometeu ampliar o serviço de saúde, transformando Frotinhas em Frotões, Gonzaguinhas em Gonzagões, para desafogar o IJF.

O candidato do Psol, Renato Roseno, disse que pretende priorizar “o pacto pela vida da infância e da juventude”, pois, segundo ele, Fortaleza é a sexta capital em mortes de crianças e adolescentes por violência armada. O caminho seria criar mais creches e escolas e enfrentar o extermínio e a exploração de crianças e adolescentes.

Valdeci Cunha (PRTB), afirmou várias vezes durante o programa que sua prioridade seria criar um instituto de planejamento, pois “não acredita em nenhuma ação sem planejamento”. Ele chegou a pedir explicações a Elmano sobre por que ele daria continuidade a uma gestão que tem alto percentual de reprovação, segundo a pesquisa O POVO/Datafolha.

Elmano, por sua vez, aproveitou o debate para se afirmar como candidato do PT, do ex-presidente Lula, da presidente Dilma Rousseff e de Luizianne. Entre as propostas apresentadas, citou a ampliação da tarifa social no transporte coletivo, que hoje vigora aos domingos. Único defensor das ações de Luizianne Lins, passou boa parte do seu tempo citando os feitos da gestão, como o projeto Vila do Mar e o Hospital da Mulher.

Segurança pública

Ações em segurança pública, incluindo políticas de enfrentamento às drogas, foram apontadas. Moroni Torgan (DEM) defendeu a repressão aos “barões do narcotráfico”, seguida de políticas sociais nas comunidades mais atingidas pela violência. “A cidade precisa de pulso. Não podemos deixar os traficantes mandando nas favelas”.

Marcos Cals (PSDB) prometeu entregar seis centros de tratamento para dependentes químicos, um em cada regional. Ele adotou o discurso mais crítico sobre a gestão municipal, se afirmando como “a verdadeira oposição”. “Não acredito em administração que não tem número para apresentar e fica tergiversando”, criticou.

Fonte: Jornal O Povo