Carta aberta à população de Fortaleza

126


Caro cidadão/cidadã cearense,

Neste mês de maio, o Hospital do Coração de Messejana completa 80 anos. Na imprensa e em diversos lugares, os gestores do hospital comemoram os bons resultados, atendimento de referência.

Entretanto, com amor e trabalho de TODOS os funcionários se faz um hospital. E é aqui que precisamos fazer uma denúncia pública. Apesar de todos contribuírem para o bem da população, dando o seu melhor durante o atendimento, os servidores de nível médio sofrem assédio moral.

No Hospital do Coração ocorrem transferências de setor sem motivo, perseguições e ameaças de retirar horas extras. Os problemas ocorrem principalmente no Centro Cirúrgico e na Emergência e duas enfermeiras estão no olho do furacão.

Entendemos que essa postura ocorre em retaliação aos servidores e servidoras corajosos, que ousaram lutar por melhores condições de trabalho, participando da última greve do Estado, entre os dias 13 de março e 8 de abril deste ano. A situação é tão absurda que servidores lotados há 14 anos no mesmo setor estão sendo transferidos, em retaliação à participação na greve.

Assédio moral é toda ação, gesto ou palavra que tenha por objetivo ou efeito constranger ou humilhar, de modo repetitivo e prolongado. Os trabalhadores vítimas de assédio moral acabam adoecendo, desenvolvendo desde dores de cabeça e problemas digestivos a depressão.

Lutamos e vamos continuar lutando, porque temos dignidade! Não adianta tentar calar nossa voz com ameaças! Por isso, pedimos o apoio da população do Ceará. Em troca, continuaremos prestando excelente serviço no Hospital do Coração de Messejana.