Dirigentes do Sindsaúde já estão em Brasília para discutir situação dos empregados da SAMEAC

98

A audiência acontece na manhã desta terça-feira, 19 de maio de 2015, e foi articulada pelo deputado federal Chico Lopes (PC do B/CE), a pedido do Sindsaúde.


 


A presidente do Sindsaúde, Marta Brandão, acompanhada do assessor jurídico do sindicato, Vianey Martins, e do diretor de Patrimônio do sindicato, José Maria de Oliveira, viajaram à Brasília na manhã desta terça-feira, 19 de maio de 2015. A comissão seguiu acompanhada dos empregados da SAMEAC, José Teles, técnico de segurança do trabalho, e Francisca Valúzia, enfermeira. O grupo foi à Brasília participar de reunião no Ministério da Educação que vai debater a situação dos empregados da SAMEAC, que temem pela não renovação de seus contratos. 


 


A reunião foi articulada pelo deputado federal Chico Lopes(PCdoB) após solicitação de dirigentes do Sindsaúde. Este é um passo importante na luta definida pelos empregados da SAMEAC durante a paralisação realizada no dia 11 de maio de 2015. O resultado desta reunião será repassado aos empregados da SAMEAC nesta quarta-feira, 20 de maio, às 10 horas nas mangueiras.


 


Em Fortaleza, durante esta manhã, empregados da SAMEAC se reuniram embaixo das mangueiras em mais uma manifestação pedindo a renovação dos contratos. O ato contou com a presença de dirigentes do Sindsaúde e do presidente da CTB no Ceará, Luciano Simplício.


 


Para tornar público o problema enfrentado pelos empregados da SAMEAC, que põe em risco os atendimentos no Hospital Universitário Walter Cantídio e na Maternidade Escola Assis Chateaubriand, o Sindsaúde também já garantiu junto aos deputados estaduais Renato Roseno, do PSOL, e Augusta Brito , do PC do B, uma audiência na Assembleia Legislativa do Ceará, que será realizada no dia 26 de maio de 2015, às 15 horas, na sala das Comissões. Uma audiência na Câmara de Vereadores de Fortaleza também já está sendo articulada.  Nestes eventos, as entidades sindicais levarão para a sociedade a gravidade da situação dos empregados da SAMEAC diante do fim dos contratos de prestação de serviços com a UFC. Os contratos se encerram em julho e agosto deste ano, podendo ser prorrogados por mais seis meses.


 


Situação semelhante no Paraná


 


Em novembro do ano passado, um acordo judicial possibilitou que 916 funcionários da Fundação da Universidade Federal do Paraná, Funpar, continuassem atuando por mais cinco anos no Hospital de Clínicas e na Maternidade Escola Victor Ferreira do Amaral. O acordo foi firmado entre o reitor da UFPR, Zaki Akel, e o Procurador do Trabalho, Ricardo Bruel. O acordo evitou uma demissão em massa, que era temida pelos trabalhadores, situação parecida com a vivida hoje pelos empregados da SAMEAC.


 


Com informações da Assessoria de Comunicação do Sindsaúde – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Ceará