Em reunião entre Sindsaúde e Hapvida, a rede de saúde privada que mais lucra às custas dos trabalhadores, propõe reajuste de apenas 3,23%

53

O Sindsaúde Ceará participou, no dia 23 de maio de 2024, de uma reunião com a direção do Hapvida para tratar do Acordo Coletivo de Trabalho de 2024/2025. Estiveram presentes, pelo Hapvida: Ana Paula, Diretora Administrativa, e Israel Pereira, Assessor de Relações Sindicais; pelo Sindsaúde: os dirigentes Marli Pereira, Daniele Nazário, Joelson Paiva e o assessor jurídico Vianey Martins.

Durante a reunião, pontos importantes foram tratados e evidenciado o descaso da rede hapvida com os trabalhadores.

  1. Piso Salarial da Enfermagem:

O Hapvida, a rede de saúde privada que mais lucra no país, demonstrou mais uma vez seu descaso pelos trabalhadores, pois informaram que só apresentarão uma proposta de piso salarial da enfermagem após 20 dias. O sindsaúde já havia protocolado a minuta de ACT há mais de um mês.

  1. Reajuste dos Demais Salários e Pisos Salariais:

O Hapvida propôs um reajuste irrisório e miserável de 3,23%, baseado no INPC de maio de 2023 a abril de 2024, desconsiderando totalmente o impacto inflacionário real nos salários dos trabalhadores, pois este reajustes acaba com todos os pisos salariais. O Sindsaúde lembrou que a tradição dos ACTs é repassar o reajuste do salário mínimo aos pisos salariais, uma prática que o Hapvida parece querer abandonar.

  1. Indenização Compensatória pela Mudança de Data Base:

O Hapvida sugeriu uma indenização insultante de R$ 100 (cem reais) para todos os trabalhadores, enquanto o Sindsaúde destacou que os empregados já perderam quase dois por cento do salário entre janeiro e abril deste ano. Como solução, foi proposto pelo Sindsaúde dobrar o valor da cesta básica de R$ 60,00 para R$ 120,00 e repor a inflação perdida pela mudança de data base (1,80%), proposta que o Hapvida diz que irá analisar.

  1. Cesta Básica:

A proposta do Hapvida é de reajustar a cesta básica em apenas 25%, passando de R$ 60,00 para R$ 75,00 por mês. O valor, oferecido como auxílio alimentação em cartão eletrônico ou cesta de gêneros alimentícios, não atende às necessidades básicas dos trabalhadores.

  1. Vale Refeição/Vale Alimentação:

O Hapvida aceitou reajustar este benefício em apenas 10%, aumentando o valor de R$ 16,00 para R$ 17,60 por dia trabalhado. O Sindsaúde reiterou a necessidade de um reajuste para R$ 25,00 por dia e propôs a unificação dos benefícios em um único auxílio alimentação, abrangendo tanto a cesta básica quanto o vale refeição/alimentação.

  1. Auxílio Creche e Babá:

O Hapvida propôs um reajuste mínimo baseado no INPC (3,23%), mostrando novamente sua falta de comprometimento com o bem-estar dos trabalhadores e suas famílias.

7.Repouso dígno

O sindsaúde tem verificado péssimas condições de acomodação para repouso noturno dos empregados, a exemplo do que no Hospital Aldeota. Em visita a essa unidade, constatamos que o repouso da emergência na verdade é equipado um cama e duas poltronas dentro de um cubículo minúsculo, em que se quer dar para abrir as poltronas. O repouso se torna, nessas condições um tormento. A direção do hapvida, informou que irá apurar a denúncia e que dará um retorno na próxima reunião.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here