Justiça poderá obrigar operadora a ressarcir usuários

186

OAB-CE orienta que clientes podem exigir que a Unimed Fortaleza pague exames particulares nas clínicas em que confiam. A Justiça poderá ser acionada

A Unimed Fortaleza poderá ter que pagar exames particulares para seus conveniados ou ressarci-los, por via judicial, caso a paralisação dos médicos radiologistas, na Capital, continue impedindo os usuários do plano de solicitar exames radiológicos. Segundo o presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil, secção Ceará (OAB-CE), Eginardo Rolim, mesmo que a operadora redirecione os clientes para atendimento em outras clínicas ou no Hospital Regional Unimed, não impede que algum usuário queira ser atendido em uma clínica específica, conveniada ao seu plano.

“Há pessoas que estabelecem uma relação de confiança com determinadas clínicas e médicos. Elas podem exigir da Unimed ser atendidas naquele local. Se ele não for atendido, pode conseguir por via judicial, utilizando o Juizado de Pequenas Causas, dependendo do valor do exame”, afirma. Eginardo acrescenta que a situação é grave e que a OAB-CE acionou duas comissões – a de Saúde e a de Defesa do Consumidor – para discutir o problema. “Na próxima semana, vamos avaliar a possibilidade de entrar com uma ação civil pública, contra uma das partes. Não sabemos qual ainda”.

O presidente da Sociedade Cearense de Radiologia (Soceara), Carlos Macêdo, diz que a entidade está tentando um canal de negociação com a Unimed, pela Secretaria Executiva do Programa Estadual de Defesa do Consumidor (Decon-CE). “A reunião de negociação ainda não foi marcada. Mas, caso não haja acordo, a paralisação vai continuar”.

A Assessoria de Imprensa da Unimed Fortaleza informa que 14 clientes foram redirecionados para outras clínicas, por terem seus pedidos de exame recusados nas clínicas que estão com radiologistas paralisados. Esse montante é referente à última quarta-feira, segundo dia da paralisação; no dia anterior (terça), a Unimed não registrou reclamações. Em relação a ontem, a assessoria ainda não dispunha dos números, que seriam consolidados (hoje).

A vendedora autônoma Ana Chirley aguardava, na manhã de ontem, a vez para realizar uma ultrassonografia, na Uniclinic. Segundo ela, não houve dificuldades no atendimento “porque esse exame já estava marcado há duas semanas”.

ENTENDA A NOTÍCIA

Nem todos os radiologistas de Fortaleza aderiram à paralisação contra a Unimed. A Soceara admite que alguns médicos, donos ou sócios de clínica, decidiram manter o atendimento. Unimed diz que atendimento está normal.