Medicamento que custa mais de R$ 6 mil está em falta em três hospitais

137

As dores de Francisco*, que há cinco anos descobriu uma doença degenerativa sem cura, têm sido tão fortes que até amarrar o cadarço se revelou missão impossível. Com 38 anos, foi forçado a se aposentar por invalidez por causa da espondilite anquilosante, inflamação que provoca dores nas articulações da coluna.

Há sete dias, Francisco deveria ter tomado a humira, medicação que atenua os efeitos da doença. A farmácia do hospital Geral dr. César Cals, de onde há quatro meses Francisco retira a medicação, porém, estava sem a humira até a tarde de ontem. O POVO ligou para o setor, que informou previsão de chegada para esta sexta-feira, 18.

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) confirmou a falta da medicação desde o início do ano em três hospitais: César Cals – onde há 60 pacientes com doença semelhante à de Francisco -, HGF e Walter Cantídio. A Sesa atribui a ausência na rede pública a atraso no repasse do Ministério da Saúde. A assessoria de imprensa do órgão federal confirmou que a medicação é “100% financiada e comprada”. Os motivos para o atraso não foram informados.

De acordo com a assessoria do hospital César Cals, uma caixa da humira custa R$ 2.430. Pesquisas feitas pelo O POVO em farmácias especializadas, porém, indicam valores superiores a R$ 6 mil na caixa do remédio com duas seringas, que dura um mês.

Até o fechamento desta matéria, a Sesa não informou o número de pacientes que dependem do medicamento; muito menos o custo de cada caixa. *Francisco é um nome fictício, a pedido do paciente.

Serviço

Ministério Público

Em caso de falta de remédios na rede pública, acione a Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde Pública, do MP-CE.Telefones: (85) 3452 3718 ou 3452 3719.

Saiba mais

A espondilite anquilosante é um tipo de inflamação que afeta os tecidos conjuntivos, caracterizando-se pela inflamação das articulações da coluna e das grandes articulações, como quadris, ombros e outras regiões.

Embora não exista cura para a doença, o tratamento precoce e adequado consegue tratar os sintomas – inflamação e dor –, estacionar a progressão da doença. A causa da espondilite anquilosante é desconhecida.

Articulações da coluna vertebral, ossos, olhos, pele e intestino são atingidos.

Pode interferir na atividade sexual se os quadris forem afetados.

O tratamento engloba uso de medicamentos, fisioterapia, correção postural e exercícios, que devem ser adaptados a cada paciente.

Fonte: O Povo