Novas greves se espalham pelo CE

127

21.08.2012

Paralisação nos setores estadual e federal se intensificam, neste mês, e levam mudança para a vida da população

As greves no serviço público se proliferam no Ceará, incluindo setores considerados essenciais e, quase sempre, alterando o dia a dia da população. No âmbito nacional, enquanto as agências reguladoras, os professores e servidores de universidades federais e agentes federais estão parados, a próxima categoria a cruzar os braços será a Polícia Rodoviária Federal (PRF), sexta-feira (24). Em nível local, o pessoal da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) deflagrou, ontem, estado de greve.

Serviços como a emissão de passaportes estão sendo prejudicados devido à greve de servidores da Polícia Federal. Ontem, a Semace deflagrou estado de greve, e a Polícia Rodoviária Federal para na próxima sexta-feira FOTO: KELLY FREITAS

A decisão dos servidores da PRF, no Ceará, foi tomada em assembleia realizada na manhã desta segunda-feira e deverá reforçar a mobilização da categoria no País. Na ocasião, foi aprovado que 30% de todo o efetivo manterão em funcionamento os serviços essenciais do órgão.

A presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Estado do Ceará, Tatiane Monteiro, garante que a sede da PRF não funcionará durante a greve, mas equipes serão disponibilizadas para fazer o atendimento em acidentes com vítimas. “Esse percentual vai fazer o atendimento de ocorrências que gerem muito prejuízo à população”, explica.

Contudo, um dia antes do início da greve da PRF no Ceará está agendada uma reunião com o Ministério do Planejamento, informou Tatiane Monteiro. A expectativa é de que o Governo Federal apresente uma proposta às reivindicações. Mas caso não ocorra avanço nas negociações, serão intensificadas as mobilizações no País, anunciou a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais.

Destacam-se entre as principais reivindicações: a equiparação com os agentes da Polícia Federal, o reconhecimento do nível superior e a reposição das perdas salariais. Os servidores estão há quase dois anos sem aumento, diz a sindicalista.

Estado de greve e uma nova assembleia geral no dia 3 de setembro, às 15 horas, na sede da superintendência. Essas foram deliberações tomadas na assembleia realizada, ontem, na sede do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estado do Ceará (Mova-se), pelos trabalhadores da Semace. A insatisfação é motivada pela dificuldade em negociar com o governo do estado melhorias salariais e nas condições de trabalho, explica a diretora do Mova-se, Rita Galvão.

Implantação do Plano de Cargos e Carreira e da gratificação de plantão no fim de semana estão entre as contrapropostas aprovadas, ontem, por quase 300 servidores de nível médio da Saúde do Estado, também em assembleia, e que serão encaminhadas ao governo, informou a presidente do Sindsaúde, Teresa Neuma Siqueira. Admitiu que a greve de auxiliares e técnicos de enfermagem, auxiliares e técnicos de laboratório – iniciada no dia 10 deste mês – atinge o funcionamento de hospitais, postos de saúde e laboratórios públicos.

MOZARLY ALMEIDA
REPÓRTER