Osteoporose: dos 1.717 aparelhos existentes, apenas 367 estão no SUS

140

De acordo com a Internacional Osteoporosis Foudation (IOF), as fraturas em decorrência da osteoporose devem crescer 32% até 2050, considerando o processo de envelhecimento da população brasileira.

Para Marcelo Pinheiro, diretor da Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo (Abrasso). esse dado ganha destaque ainda maior diante dos resultados da pesquisa encomendada pela entidade, tendo em vista que as medidas de prevenção ainda não são adotadas de forma generalizada pela população. “Se a gente não tomar uma atitude, esse quadro pode ser ainda mais grave”, destaca.

Dentre as medidas que seriam necessárias, ele aponta a ampliação do acesso ao exame de densitometria óssea e uma melhor qualificação dos médicos para o diagnóstico precoce da doença.

Outro levantamento da Abrasso mostra que dos 1.717 equipamentos para o exame em funcionamento atualmente no Brasil, apenas 367 estão Sistema Único de Saúde (SUS). Também há grande disparidade do ponto de vista regional, já que a maior parte dos aparelhos, 1.222 do total, está localizada nas regiões Sul e Sudeste.

A osteoporose é uma doença óssea sistêmica (generalizada a todo o esqueleto), que por si só não causa sintomas. É caracterizada por uma perda da densidade mineral óssea e alterações da microarquitetura e da resistência ósseas que causam aumento da fragilidade dos ossos e, consequentemente, aumento do risco de fraturas.

 Fonte: O Povo