Pacajus: servidores conquistam adicionais de insalubridade e noturno

130



Em reunião com o Sindsaúde nesta segunda-feira, 9 de junho, a secretária de Saúde de Pacajus, Nerilene Nery, se comprometeu a instituir os adicionais noturno e de insalubridade para os servidores da saúde, nos percentuais de 25% e 20%, respectivamente. Os motoristas de ambulância também receberão adicional de risco de vida de 40%.


Os valores serão pagos aos servidores de maneira escalonada, ou seja, começarão a ser pagos às categorias de acordo com um cronograma, entre agosto e dezembro. Reunião no próximo dia 24 de junho definirá exatamente o cronograma, no entanto, já ficou acertado que os profissionais da enfermagem (enfermeiros, auxiliares e técnicos) e motoristas de ambulâncias serão os primeiros a receber, na folha de agosto.


“Estes serão os primeiros servidores a receber porque foram eles que chamaram a luta pelos adicionais”, explica a presidente do Sindsaúde, Marta Brandão.


Além disso, os auxiliares e técnicos de enfermagem terão piso salarial de R$900,00, a partir de agosto, e data base fixada em janeiro. A remuneração sofrerá reajuste de acordo com o salário mínimo. Participaram da reunião que estabeleceu essas mudanças a secretária de Saúde, a diretora do Hospital Municipal, Eliete, duas servidoras – uma enfermeira e uma técnica de enfermagem – e pelo Sindsaúde Ceará a presidente, Marta Brandão, e as diretoras Cristina Soares e Elza Sônia.


Na segunda quinzena de outubro haverá a primeira reunião entre Sindsaúde e prefeitura para instituir o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) dos servidores da saúde.


Veja mais fotos da reunião em nossa galeria.


Diálogo


Marta Brandão elogiou a postura da prefeitura, que diante da manifestação marcada para ocorrer em Pacajus chamou sindicato e servidores para negociação, antes mesmo que fosse realizado o ato. “Parece ser uma gestão disposta ao diálogo, enquanto em outros municípios temos que pedir negociação, vamos à justiça, fazemos manifestação e somos recebidos por vândalos a mando da prefeitura”, declarou.


Apenas três municípios não pagam adicional


Em todo o Ceará, apenas os municípios de Ipu, Tejuçuoca e Pacajus não pagam o adicional de insalubridade aos servidores que trabalham nos hospitais. Em Ipu estamos com um forte processo de mobilização para que a lei seja cumprida; a prefeitura de Tejuçuoca colocamos na Justiça; e Pacajus conseguimos resolver com diálogo.


Há alguns anos, antes de o Sindsaúde realizar a luta por este direito, o número de municípios que não pagavam o adicional era bem maior, entre eles Chaval e Caridade, só para citar o exemplo.