Queima do Judas mobiliza servidores, mídia e população

78

Nesta quarta-feira (27) ocorreu a queima do Judas dos servidores da saúde. Um boneco representando o governador Cid Gomes (escolhido por unanimidade como o traidor do ano) foi malhado por mais de 200 servidores, profissionais cooperados da Coopen – que estão trabalhando sem contrato desde o ano passado –, e população. O ato simbólico foi acompanhado por televisões e jornais cearenses.

Indignados com o desrespeito do governador para com os servidores, os manifestantes decidiram paralisar a Avenida Imperador durante cerca de 20 minutos, conversando com os motoristas e mostrando à população que o governador só se preocupa em investir em concreto, não nos profissionais que fazem o Estado funcionar.

A manifestação contou com o apoio de várias entidades, como o Fórum Unificado das Associações e Sindicatos de Servidores Públicos Estaduais do Ceará (Fuaspec) e a Associação dos Profissionais de Segurança Pública do Ceará (Aprospec).

O toque de humor ficou por conta da dramatização do ator Carlos Alves, que representou um enviado de Cid Gomes e leu o tradicional testamento do Judas, escrito por um cordelista.

Próxima concentração de greve

Na segunda-feira, dia 1º de abril, a partir das 8h, ocorre mais uma concentração de greve. Será no Hospital Geral César Cals, pois os servidores grevistas estão sofrendo ameaças de transferência de setor e assédio moral por parte do diretor, que rasga a escala de greve elaborada pelo sindicato e comando de greve para garantir a manutenção de 30% do atendimento, prevista em lei.

Além disso, o diretor agora quer que os servidores trabalhem 11 plantões por mês, ao invés dos 10 plantões tradicionais. “Há três anos trabalhamos 10 plantões por mês. Para cumprir esses 11 plantões, teremos de trabalhar um dia em cima do outro e não receberemos nem um centavo a mais por isso”, desabafa uma servidora.

O Sindsaúde não vai aceitar essa situação, pois todos os hospitais precisam cumprir a portaria estadual 49/2010, que prevê descanso de 48 horas, no mínimo, entre os plantões.

Leia o testamento do Judas Gomes:

Eu, Judas Iscariotes

Criatura salafrária

Quero revelar a todos

Que nessa luta diária

Tenho sido um traidor

Da nossa classe operária.

 

Eu nasci lá em Sobral

Ceará, terra da luz

Os servidores do Estado

Vivo pregando na cruz

Mesmo porque no passado

Eu traí até Jesus.

 

Perseguir os servidores

Tem sido a minha missão

Pois sou um governador

Sem alma e sem coração

E já dei no próprio Cristo

O beijo da traição.

 

Servidores da Saúde

E até os policiais

Foram traídos por mim

Em acordos desleais

Que jamais foram cumpridos

Conforme dizem os anais.

 

Duas greves da saúde

Muitas mobilizações

Motivaram, ano passado

Muitas negociações

Pra me vingar excluí

Suas gratificações.

 

Aos policiais grevistas

Eu jamais dei anistia

Não dei suas promoções

Que ainda esperam, hoje em dia

Porque o meu desgoverno

É mesmo uma tirania.

 

E nesta Semana Santa

É costume se malhar

Os traidores do povo

Que vivem de enganar

É justo que os servidores

Queiram de mim se vingar.

 

Por isso eu digo a todos

Sem nenhum acanhamento

Podem malhar a vontade

Mas antes, nesse momento

Quero fazer a leitura

Dessa carta-testamento.

 

Somente a luta de classe

Com garra e muita união

Podem reverter o quadro

De desmandos da nação

E acabar em nosso Estado

Com tanta perseguição.

 

Eu deixo a minha arrogância

E meu discurso afetado

Como uma herança maldita

Ao povo do nosso Estado

Para aprender a votar

E não ser mais enganado.

 

Deixo o servidor lutando

Com garra e disposição

Malhando em praça pública

Um Judas sem coração

Nesta semana simbólica

Que se celebra a Paixão.


As promessas descumpridas

E outras mentiras mais

Ficam para os servidores

Da Saúde… Estaduais

Lembrando do que já fiz

Aos nossos policiais.

Quero ver o servidor

Triste, descontente e liso

E a classe rica surfando

Sem ter nenhum prejuízo

Adeus, adeus minha gente

Até DIA DE JUÍZO!!!