Rede pública faz mil exames a menos que a capacidade

233


Em Fortaleza, 11 locais realizam a mamografia, exame essencial para o diagnóstico precoce do câncer de mama. A capacidade é de 10 mil exames por mês, no entanto, o número médio de mamografias realizadas é de 8.787, segundo a Secretaria Municipal da Saúde (SMS).


Com a ausência das mulheres nas salas de exames, o caminho eficiente para o diagnóstico precoce ganha obstáculos que podem afetar a saúde das cearenses. Para o uso pleno do serviço, ainda é necessária a conscientização das mulheres e a sensibilização dos profissionais da saúde para os encaminhamentos para a realização do exame.


Segundo Léa Dias, articuladora da área técnica de Saúde da Mulher da SMS, não existem filas para realizar mamografia em Fortaleza atualmente. Ela lembra que é preciso incentivar as mulheres a procurar as unidades de saúde. Questões culturais como o medo de descobrir uma doença e a imagem de que o exame dói acabam por afastar ou atrasar a procura pela mamografia, comentou Léa.


Maria da Conceição Silva, 48, estava há 10 anos sem realizar o exame de prevenção do câncer do colo do útero, o papanicolau, e nunca tinha feito a mamografia. Com queixa de dor, o apoio das amigas e a constância do assunto neste mês, ela foi ao posto de saúde, onde recebeu o encaminhamento para o exames das mamas no Hospital da Mulher. O descuido que ela diz ter com a saúde começava a ser revertido.

Subutilização


Segundo o diretor do Hospital da Mulher, Rogério Menezes, o moderno equipamento existente na unidade está subutilizado. De janeiro a agosto de 2013, foram realizados somente 941 mamografias no hospital, uma média de 118 por mês. “Ainda é muito pouco, temos uma capacidade muito maior”, comentou, ressaltando que o Hospital da Mulher ainda está sendo integrado à rede.


Com o mutirão realizado durante o Outubro Rosa, estão sendo oferecidos 50 exames por dia na unidade. Somente na manhã de ontem, 29 mamografias já haviam sido realizadas. No local, profissionais da atenção primária também estão recebendo curso de atualização na saúde mamária, forma de melhor prepará-los para receber as usuárias do sistema de saúde, que precisam ser diagnosticadas e encaminhadas mais cedo.


Apesar de não haver fila para a mamografia, exames como o ultrassom, necessário para outros processos do diagnóstico do câncer de mama, contam com espera para a realização.


Segundo Léa Dias, a fila encontrada pela gestão está sendo enfrentada com a tentativa de ter mais oferta dos prestadores que tem convênio com o Município. Durante o Outubro Rosa, também estão sendo realizados mutirões para atender as mulheres que aguardam pelo ultrassom.


Serviço


Encontro Rosa


Quando: hoje, às 19 horas


Onde: Shopping Del Paseo


Participam os médicos Ricardo Albino, Iane Lima, Rodrigo Nogueira, Eduardo Gomes e Ilnar Escócia.


Saiba mais


Onde é realizado o exame de mamografia


A rede pública e conveniada realiza exames por meio de encaminhamento, principalmente das unidades primárias. A rede é formada por 11 unidades:


Hospital da Mulher


Telefone: 3233 3954 e 3233 3545


Gonzaguinha da Barra do Ceará


Telefone: 3452 2409 e 3452 2390


Gonzaguinha de Messejana


Telefone: 3105 1590 e 3101 4353


Hospital Universitário Walter Cantídio


Telefone: 3366 8167


Hospital Geral de Fortaleza


Telefone: 3452 6701


ICC – Instituto do Câncer do Ceará


Telefone: 3288 4468 e 3288 4400


Clínica Radiológica Mário de Assis


Telefone: 3254 7635


Clínica Geral de Diagnóstico e Laboratório Geral de Diagnóstico


Telefone: 3253 5160


Multiclínica Fortaleza


Telefone: 3495 2234


Omnimagem Millenium


Telefone: 3455 5555


Geeon – Grupo de Educação e Estudos Oncológicos


Telefone: 3221 1515


Fonte: Jornal O Povo