Reunião no Palácio da Abolição discute situação de servidores da saúde do Estado

101


 


Os servidores da saúde do Estado, que atuam nos Hospitais César Cals, Mental e Coração dizem ter sido prejudicados com a inclusão da Gratificação de Incentivo ao Trabalhador com Qualidade (GITQ) no contracheque e com mudanças no pagamento dos plantões extraordinários.


 



Representantes do Sindsaúde e outras entidades sindicais participaram na manhã desta quarta-feira, 10/06, de uma reunião com representantes do Governo do Estado. Os sindicalistas foram cobrar do Governo medidas a favor da categoria. A reunião foi coordenada pelo chefe de gabinete, Élcio Teixeira, com a participação do secretário interino da Saúde, Henrique Javi, e do secretário Executivo da saúde, Rennys Aguiar. 


 


Com relação à gratificação de incentivo, ficou acertado que será formada uma mesa de negociação específica com representantes do Sindsaúde, MOVA-SE, CTB e CUT para analisar a melhor forma de contemplar os servidores que perderam um complemento salarial, mantendo a gratificação de incentivo(GITQ) no contraqueque. Já sobre o pagamento dos plantões extraordinários(serviços prestados), foi afirmado que os servidores que trabalharam no mês de maio vão receber os pagamentos normalmente. 


Os sindicalistas pediram a suspensão da medida que acabou com os serviços prestados. Uma nova reunião no Palácio da Abolição, com a presença da Secretaria do Planejamento, Seplag, ficou marcada para a próxima terça-feira, 16/06, para discutir o assunto. A proposta é que seja formada uma comissão de transição para analisar as mudanças de forma que o servidor não seja prejudicado. 


 



 


Durante toda a manhã, o Sindsaúde realizou reuniões com os servidores dos hospitais Cesar Cals, Mental e de Messejana. 


 


Com informações da Assessoria de Comunicação do Sindsaúde – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Ceará