Servidores municipais realizam manifestação

189


Os agentes de saúde e sanitaristas, em campanha salarial desde janeiro e em greve há 46 dias, realizaram uma manifestação, na manhã de ontem, no prédio da Assembleia Legislativa do Ceará. A categoria está sem receber novas propostas da Prefeitura de Fortaleza, há 30 dias, de acordo com o diretor do Sindicato dos Agentes de Saúde e Sanitáristas no Estado do Ceará (Sinasce), Gentil Rodrigues.

“Nós não viemos aqui para ocupar o prédio, nós só queríamos chamar a atenção do Poder Legislativo para a nossa situação”, explica Rodrigues. O diretor do sindicato afirmou, ainda, que o Ministério Público está julgando a legalidade da greve, conforme pedido da Prefeitura.

Segundo o diretor do Departamento Legislativo, Carlos Alberto Aragão, os agentes quiseram invadir o plenário, mas desistiram da ideia quando foram informados de que não há sessões às segundas-feiras.

Conforme o Sindasce, o presidente do sindicato chegou a se reunir com o líder do Governo na Assembleia, o deputado estadual Antônio Carlos. Os trabalhadores pedem reajuste salarial de 16% e um aumento na ajuda de custo diária, de R$10 para R$13. Até o momento, a prefeitura ofereceu 3,1% para os vencimentos base e um equivalente a 31 centavos a mais na ajuda de custo diária dos agentes sanitaristas. No início da greve, o pedido de aumento de salário era de 33%, mas foi reduzido para 20% e, agora, está em 16%. “Deixamos claro que não queremos continuar com a greve, mas não há resposta da prefeitura, mesmo depois de termos baixado o pedido de reajuste”, afirma a agente Ana Karyne da Silva.

Uniformes

Os grevistas alegam também que a gestão municipal não fornece fardamento, o que dificulta o trabalho da categoria. “Já passei um dia sem trabalhar porque não tinha farda e as pessoas não me deixaram entrar nas casas”, conta o agente Danilo da Silva.

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria de Administração do Município (SAM), informa que está em negociação com os sindicatos que representam os agentes de saúde e de endemias. “Todo nosso esforço é para chegar a um entendimento sobre o salário de 2012 e cumprir o acordo coletivo de trabalho firmado com os sindicatos”.

A assessoria de imprensa da SAM diz que a licitação do fardamento já foi realizada. Além disso, houve a antecipação da data base de maio para janeiro de 2012 e o salário base deve ser definido no valor de R$ 632,00, a partir de janeiro deste ano.

Fonte: Diário do Nordeste