Sindicalistas abordam deputados cearenses no aeroporto contra PL das Terceirizações

142


Cerca de 60 sindicalistas do Sindsaúde, Sindiguardas e Apeoc( Sindicato da Educação) chegaram no aeroporto por volta das 5h30 da manhã desta terça-feira(14/04). Plenário da Câmara deve retomar hoje votação de projeto da Terceirização.


 


Com cartazes e faixas na mão, os sindicalistas não pouparam vaias aos deputados que votaram a favor do PL 4330, que flexibiliza as terceirizações, colocando em risco os direitos dos trabalhadores.  Houve bate-boca com o deputado Adail Carneiro, do PHS, que afirmou ter votado no que era certo. Ele foi chamado de traidor e embarcou enquanto era vaiado pelos manifestantes. Quem também foi abordado pelos sindicalistas e vaiado foi o deputado André Figueiredo, do PDT, que também votou contra os trabalhadores. Quem apoiou o protesto foi o deputado Chico Lopes, do PC do B, que fez uso do megafone para falar com os trabalhadores presentes e confirmar seu posicionamento contra o PL da Terceirização. 


 


Já o deputado Raimundo Gomes de Matos, do PSDB, que também tinha a cara estampada nos cartazes como traidor “procurado”, saiu pela tangente e escapou da abordagem dos sindicalistas. O ato foi acompanhado pela imprensa local e ganhou repercussão nas redes sociais.


 


Para a presidente do Sindsaúde, Marta Brandão, ainda há tempo para reverter a aprovação doProjeto de Lei 4330, que coloca em risco os direitos do trabalhador. É preciso manter a pressão nos deputados para que essa medida conservadora não seja aprovada nas próximas fases de votação. “Os trabalhadores brasileiros não vão ficar calados, não vão se omitir diante da arrogância e prepotência do presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, que quer impor ao povo brasileiro o retrocesso que significa o PL 4330 – da Terceirização”- afirmou.


 


 


Para entender


 


O texto-base do Projeto de Lei 4330, PL da Terceirização, foi aprovado no dia 8 de abril por 324 votos a favor e 137 contra. Os deputados tinham até a tarde desta segunda (13) para apresentar suas emendas de destaque ao texto. A previsão é de que cerca de 100 emendas sejam apresentadas.  


 


A maior parte das emendas de destaque a serem apresentadas, segundo informações de vários destes gabinetes, pedem a alteração, no PL, de itens sobre os seguintes temas: terceirização na atividade-fim (o projeto autoriza a terceirização em todos os tipos de atividade), responsabilidade da empresa contratante em relação aos direitos trabalhistas e a questão da filiação dos terceirizados ao sindicato da atividade preponderante da empresa contratante.


 


Com informações da Assessoria de Comunicação do Sindsaúde – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Ceará