Sindsaúde cobra da Sesa pagamento de produtividade

178


Na manhã do dia 16/10, ocorreu reunião entre o Sindsaúde e a Secretaria de Saúde. O sindicato esteve representado pela presidente Tereza Neuma e pela Diretora Marli Pereira, além da assessoria jurídica.


Na ocasião, o Sindsaude cobrou do Secretário Arruda Bastos uma ordem expressa e específica sobre o pagamento da produtividade aos servidores que fizeram greve em agosto/setembro, bem como sobre os plantões extras que não foram pagos no hospital Cesar Cals.


O Dr. Arruda Bastos garantiu que seria remetido oficio aos diretores dos hospitais, o que efetivamente ocorreu (vide oficio no verso).


Apesar de o ofício anterior do secretário, enviado no dia 21/9, especificar que não haveria nenhum prejuízo aos servidores grevistas, alguns diretores de plumagem tucana, resolveram criar todo tipo de embaraço e dificuldade para pagarem a produtividade, arvorando-se um poder que não têm, contrariando, inclusive, o que foi negociado com o Governador.


Alguns diretores de hospitais, como o do HIAS, de forma oportunista, utilizaram, para não pagarem a produtividade, até um parecer da assessoria jurídica da SESA sobre a greve dos servidores federais da saúde ocorrida em julho/agosto. Um absurdo, pois o parecer era específico para os servidores federais do Hospital do Coração, em que o governo federal determinou cortar o ponto e descontar salário e produtividade. Situação totalmente diferente da greve dos servidores estaduais da saúde e ACS.  


Em reunião no último dia 9, a Mesa Estadual de Negociação Permanente do SUS também se pronunciou a favor do abono das faltas da greve dos servidores de nível médio e ACS do estado do Ceará. Mais uma razão para não haver obstáculo quanto ao pagamento da produtividade.


CÉSAR CALS E HEMOCE – Ontem, 16/10, foi confirmado que o Hospital Cesar Cals e o Hemoce pagaram integralmente a produtividade de agosto e setembro aos servidores que fizerem greve. No HGCC também foram pagos os plantões extras.


Isto prova que as desculpas de alguns gestores para não pagarem a produtividade não tem o menor cabimento. Estão fazendo isso somente para perseguir aqueles que lutam por seus direitos. Nesta lista de perseguidores se incluem alguns gestores dos hospitais, como São José, Albert Sabin, Hospital do Coração, Hospital Mental e Hospital Geral de Fortaleza.

 

“Vamos precisar de todo mundo. Um mais um é sempre mais que dois. Pra melhorar juntar as nossas forças” (Beto Guedes, canção Sal da Terra).