Sindsaúde lança nota de apoio à greve dos servidores federais

158

Os trabalhadores sofreram duro golpe por parte do governo federal. A presidenta Dilma Rousseff assinou, no último dia 25, decreto permitindo que servidores federais em greve sejam substituídos por equivalentes estaduais.

A norma orienta ministros de Estado, supervisores dos órgãos ou entidades onde ocorram greves, a buscar alternativas para a continuidade do serviço mesmo que, para isso, tenham que fechar parcerias com estados e municípios que assegurem o fornecimento de trabalhadores para manter os serviços paralisados.

Na opinião da direção do Sindsaúde, é preciso se solidarizar com os servidores nesse momento de ofensiva do governo, que se equipara a um patrão capitalista.

“Para falar de maneira clara, trata-se de um decreto vergonhoso, em que a presidenta institui uma política antissindical, forçando servidores a tornaram-se fura-greves, colocando trabalhador contra trabalhador”, diz a nota.

Veja a nota do Sindsaúde na íntegra:

Todo apoio à greve dos servidores federais!

O Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde (Sindsaúde) declara sua total solidariedade aos servidores federais em greve em todo o país. Ao mesmo tempo, repudiamos taxativamente o decreto assinado pela presidenta Dilma Rousseff, no último dia 25, permitindo que servidores federais em greve sejam substituídos por equivalentes estaduais.

Para falar de maneira clara, trata-se de um decreto vergonhoso, em que a presidenta institui uma política antissindical, forçando servidores a tornaram-se fura-greves, colocando trabalhador contra trabalhador.

Com essa medida, o governo se equipara aos patrões capitalistas, usando das armas mais espúrias para tentar enfraquecer a luta dos servidores.

Nós, do Sindsaúde e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), reforçamos que a solução real para as greves só virá a partir de negociação e atendimento das reivindicações dos trabalhadores. De nada adianta o governo imitar a mídia burguesa e tentar ignorar o movimento dos servidores, cada vez mais forte.

Continuemos na luta, servidores! O país precisa desse exemplo de coragem!