Sindsaúde participa de audiência pública com trabalhadores da Sameac

133

A audiência foi requerida pelo vereador Márcio Cruz e contou com a participação de cerca de cem trabalhadores da Sameac.


 



A audiência para discutir a situação dos trabalhadores da Sameac foi realizada no auditório Vereador Ademar Arruda, na Câmara Municipal de Fortaleza, e teve início às 9 horas da manhã desta terça-feira, 07/07. Cerca de cem trabalhadores participaram da audiência, requerida pelo vereador Márcio Cruz e transmitida ao vivo pela 106,1 (FM Fortaleza) e canal 61.4(TV Fortaleza). A presidente do Sindsaúde, Marta Brandão, falou para os trabalhadores em defesa da categoria e da prorrogação dos contratos que se encerram em julho e agosto deste ano. 


 


A audiência contou com a participação da vereadora Ruthmar Xavier, do presidente da CTB, Luciano Simplício, da representante do Movimento Crítica Radical, Rosa da Fonseca, da presidente da Associação dos Enfermeiros do Ceará, Ana Paula Brandão e de representantes do Movimento em Defesa dos Trabalhadores da Sameac. O assessor jurídico do Sindsaúde, Vianey Martins, falou sobre as possibilidades de prorrogação dos contratos dentro da lei, o que pode acontecer com um envolvimento maior da UFC e do Ministério Público Federal.


 


Com faixas e cartazes, os trabalhadores tentaram sensibilizar a população e o Ministério Público. “Direito não se mendiga, se conquista!” – Estas foram algumas das palavras de ordem dos trabalhadores da Sameac durante a audiência pública. Os trabalhadores afirmaram que o Hospital Universitário Walter Cantídio e a Maternidade Escola Assis Chateaubriand, MEAC, não podem parar e os cerca de 700 trabalhadores da Sameac não podem ser descartados. Para os representantes do Movimento em Defesa dos Trabalhadores da Sameac, MDTS, demitir os trabalhadores que dedicaram suas vidas ao serviço de atenção à saúde afeta diretamente o atendimento à população, que precisa saber e entender o que está acontecendo. O número de trabalhadores que hoje atuam na Maternidade Escola e no Hospital da UFC já não atende à demanda. Demitir esses profissionais é colocar em risco o funcionamento das unidades de saúde e o atendimento à população. Mesmo que todos os profissionais que passaram por seleção da EBSERH sejam chamados não se resolve a situação.


 


A presidente da Associação dos Enfermeiros do Ceará, Ana Paula Brandão, defendeu a união dos profissionais da saúde para fortalecer a luta. Já a ex-veradora e membro do Movimento Crítica Radical, Rosa da Fonseca, fez críticas ao sistema capitalista e ao modo como os trabalhadores são tratados. Trabalhador não pode ser descartado!


 


O presidente da CTB, Luciano Simplício, também criticou o tratamento desumano aos trabalhadores sob a ameaça de demissão que assombra a categoria com o fim dos contratos da Sameac com a UFC.  A maioria dos trabalhadores estão perto de completar tempo para se aposentar e temem ser ainda mais prejudicados com a demissão.  O discurso foi encerrado com as palavras de ordem dos trabalhadores: “Sameac é atenção, abaixo a demissão!”


 


O advogado Edmir Martins, da Comissão de Direitos Humanos da OAB, falou em defesa dos trabalhadores da Sameac. Ele pediu a mobilização de toda a categoria para sensibilizar o Ministério Público e a UFC pela prorrogação dos contratos. Ele defendeu a realização de um ato da categoria na frente do Ministério Público do Trabalho. A presidente do Sindsaúde, Marta Brandão, sugeriu que o ato fosse realizado em frente ao Ministério Público Federal, instituição que pode solicitar em conjunto com a UFC a prorrogação dos contratos.


 


A audiência pública na Câmara Municipal foi encerrada ao meio-dia e os encaminhamentos sobre a situação dos trabalhadores da Sameac foram repassados pelo vereador Márcio Cruz, que afirmou que será feito um requerimento ao reitor da UFC, Henry Campos, e ao Procurador da República, Marcelo Monte, pedindo a prorrogação dos contratos da Sameac com a UFC.


 


Por uma saúde de qualidade para todos e pelo respeito profissional da saúde, o Sindsaúde apoia os trabalhadores da Sameac e segue na luta pela prorrogação e renovação dos contratos.


 


Com informações da Assessoria de Comunicação do Sindsaúde – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Ceará