Vereador denuncia convênio entre SMS e Federação dos Comerciários

106

Em sessão na Câmara Municipal de Fortaleza nesta quinta-feira, dia 14/2, o Vereador Marcio Cruz (PR) denunciou convênio e aditivos, no valor de R$ 874.350,00 firmados entre Secretaria Municipal de Saúde e Federação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços do Ceará (Fetrace), no período de 2006 a 2009.

A Prefeitura de Fortaleza pagou quase 1 milhão de reais a uma entidade sindical do comércio para que, supostamente, organizasse cursos de gestão hospitalar. O vereador questiona o motivo da escolha da entidade, que nada tem a ver com a área da saúde, e o que foi feito com os recursos, já que o relatório do Tribunal de Contas do Município (TCM) informa que não foram enviados plano de trabalho e prestações de contas, o que inviabiliza a comprovação da correta aplicação dos recursos.

Segundo o Vereador Márcio Cruz, o presidente da Fetrace, Eliseu Gomes, além de ter assinado o convênio e aditivo, ainda era contratado como funcionário do Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Apoio à Gestão em Saúde (IDGS) há mais de três anos, recebendo religiosamente o salário, sem saber ao menos onde era seu local de trabalho.

Assim como o vereador Marcio Cruz, o Sindsaúde também estranha este convênio, pois a Fetrace não guarda relação com a saúde. Vamos pedir explicações à SMS e aos demais órgãos competentes para saber o que foi feito com tanto dinheiro.

Importante voltar um pouco no tempo e lembrar à categoria da saúde que a Fetrace financiou o grupo de oposição ao Sindsaúde nas eleições ocorridas em dezembro de 2012. Na época, questionamos de onde saíram mais de R$ 50 mil reais para pagar honorários de advogados de um dos escritórios mais caros do Brasil, contratado para tentar anular as eleições de nossa entidade e colocar Célia Santiago no páreo, mesmo com a chapa toda irregular, ferindo as normas do nosso Estatuto.

Agora, com a denúncia deste convênio, dá para se ter algumas pistas da “fonte” do dinheiro para fazer oposição ao Sindsaúde. É por conta dessa patota que trabalhadores estão sem salário há meses, alguns desde novembro. Sobra dinheiro para contratos desse tipo, mas nos postos de saúde falta tudo, da gaze aos remédios e concursos públicos para assegurar número suficiente de profissionais.

Na próxima terça-feira, dia 19, a secretária de Saúde de Fortaleza, Socorro Martins, dará explicações na Câmara Municipal sobre este convênio com a Fetrace e sobre o IDGS, segundo informações colhidas no site da Câmara.

Veja, em pdf, o convênio assinado entre Prefeitura e Fetrace.


{phocadownload view=file|id=180|text=convenio_fetrace_resumido|target=b}