Vitória dos trabalhadores: prefeitura anula edital que privatiza IPM Saúde

77

Em reunião da Mesa Central de Negociação realizada na tarde do dia 04/09/13 (quarta-feira), na sede da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (SEPOG), o governo do prefeito Roberto Cláudio (PSB) foi obrigado a voltar atrás na tentativa de privatizar a assistência de saúde dos servidores municipais através da contratação de planos de saúde particulares.

Após a denúncia das entidades representativas e a pressão dos protestos, bem como do abaixo-assinado com milhares de assinaturas de servidores, dependentes e pensionistas, os representantes do governo municipal tiveram de acatar a posição soberana dos trabalhadores e aceitaram revogar o edital publicado no Diário Oficial do Município do dia 08/08/13.

Sindsaúde mobilizado

O Sindsaúde participa da Mesa Central de negociação e ainda na manhã do dia 4 realizou ato na entrada do II Congresso Brasileiro de Direito e Saúde, denunciando, em carta aberta aos participantes, a tentativa de privatização do Instituto de Previdência do Município (IPM), por meio do edital que credenciaria empresa administradora de benefícios para disponibilizar oferta de planos privados de saúde aos servidores e seus dependentes.

Para o agente de saúde de Fortaleza e diretor do sindicato, Ulisses Vilar, a luta e a mobilização dos trabalhadores e dos sindicatos e associações dos servidores foi o fator decisivo para barrar este golpe que enfraqueceria e levaria à privatização do IPM Saúde. “Estava muito claro o futuro sem acesso à saúde que esperaria os servidores caso a proposta da prefeitura se concretizasse. Felizmente, acordamos a tempo e agora temos de continuar na luta para que o IPM se fortaleça cada vez mais”, destacou.