Após passarem a noite no prédio da SMS, servidores da saúde de Fortaleza mantém greve

155

Os servidores, junto ao Sindsaúde e com o apoio do Sindfort, acamparam durante toda a noite no prédio da SMS. Sem uma resposta concreta da prefeitura, a greve continua.

Os servidores da saúde de Fortaleza entram no segundo dia de greve com muita disposição. Depois de passarem a noite acampados no prédio da Secetaria Municipal da Saúde, eles seguem cheios de garra para resisitir na luta pela inclusão da categoria na Política de Educação Permanente do município de Fortaleza. A ordem é só desocupar o prédio com um retorno positivo da prefeitura.

Greve começou nesta segunda-feira, 20/09

No primeiro dia de greve, o Sindsaúde, com o apoio do Sindifort, ocuparam a rua Barão do Rio Branco, em frente à Secretaria Municipal da Saúde, SMS, para cobrar o direito à Educação Permanente.

Também participaram da manifestação as centrais sindicais CTB e Intersindical. O movimento tem recebido o apoio de outras entidades sindicais e de vereadores.Entre as entidades que marcaram presença na atividade desta segunda-feira, 20/09, estão o Sindiguardas, Sindiodonto, Siantrans e Sindicato dos Bancários. Entre os parlamentares, marcaram presença as vereadoras Adriana e Louise, do mandato coletivo Nossa Cara, o vereador Gabriel Aguiar e representação do agora deputado estadual Gulherme Sampaio.
Durante toda a manhã, os servidores protestaram com faixas e cartazes, com direito à paródia musical, com a pisadinha da Educação Permanente. Em alguns momentos, os manifestantes bloquearam a rua enquanto explicavam a motivação da greve.

Por volta das 11h30, os servidores entraram na SMS e ocuparam todo o térreo do prédio. Tudo de forma pacífica. Depois da ocupação, uma comissão foi chamada para tratar sobre a demanda da categoria.

A comissão, formada pelos vereadores Gabriel e Louise, pelo diretor do Sindsaúde, Quintino Neto, e representante do Sindifort e dos servidores foram recebidos pela secretária da saúde, Ana Estela, acompanhada de outros membros da gestão. Enquanto aguardavam, os servidores almoçaram, acomodados como foi possível. Enquanto aguardavam o resultado da reunião, os servidores tiveram um momento de descontração com uma apresentação da humorista Luana do Crato, que levantou o ânimo dos manifestantes. Ao final da reunião, os participantes passaram os informes. A secretária, mais uma vez, colocou uma limitação jurídica como dificuldade para atender a demanda dos servidores. Ela ficou de agendar uma reunião da categoria com o prefeito Sarto para o mais breve possível. Como resposta, os servidores decidiram manter a ocupação até que a prefeitura dê uma resposta concreta.

“Esperamos o bom senso do prefeito Sarto para atender aos servidores o quanto antes para que a greve seja encerrada com a garantia da inclusão desses profissionais na Política de Educação Permanente do município. É inadmissível que a gestão, além de não conceder esse direito aos concursados de 2015, ainda ameace quem já tem esse direito” – afirmou a presidente do Sindsaúde, Marta Brandão.

Os servidores concursados de 2015 querem o direito de se qualificar dentro da jornada de trabalho, garantindo assim 32 horas semanais na assistência e oito horas semanais para a Educação Permamente. Esse direito já é assegurado a todos os demais servidores da saúde de Fortaleza, tanto do nível médio como superior.

Confira o destaque do movimento grevista dos servidores da saúde de Fortaleza no Jornal Jangadeiro desta segunda-feira, 20/09:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here