Após repercussão na imprensa, gestores do São Mateus se comprometem a rever tratamento aos trabalhadores

386

A reunião de mediação foi realizada nesta segunda-feira, 13/12, no sindicato patronal da rede particular, em Fortaleza.

O grupo Kora, que adquiriu recentemente os hospitais Gastroclínica, Otoclínica e São Mateus, tem sido denunciado por espalhar terror entre os empregados dessas unidades de saúde. Nesta segunda-feira, 13/12, atendendo a um pedido do Sindsaúde Ceará, foi realizada no sindicato patronal da rede particular uma reunião de mediação para tratar das questões específicas do Hospital São Mateus, onde empregados denunciaram que estavam sendo obrigados a compensar o tempo usado durante a jornada de trabalho, de seis horas, para lanchar. Os trabalhadores também se queixam de que as horas do repouso noturno também não estariam sendo computadas para o cálculo do adicional noturno, direito previsto na convenção coletiva da categoria.

Participaram da reunião a chefia de recursos humanos e assessoria jurídica da empresa, a diretora do Sindsaúde Ceará, Madalena Policarpo, acompanhada do assessor jurídico Vianey Martins, com a mediação da assessoria jurídica do sindicato patronal. Na ocasião, representantes do grupo Kora alegaram que apenas foram feitos ajustes no registro do ponto. O sindicato discorda desta decisão da empresa, pois o registro dos intervalos no sistema de ponto eletrônico não pode implicar majoração na jornada de trabalho e muito menos, redução do adicional noturno. Os representantes da empresa ficaram de fazer uma análise mais aprofundada sobre estas questões apresentadas pelo sindicato.

Outros pontos debatidos na reunião foram com relação às condições físicas de repouso do pessoal da enfermagem, sobre a alimentação inadequada no horário da noite e sobre a possibilidade de envio de atestado médico por meios eletrônicos. A empresa também ficou de analisar os assuntos e dar uma resposta ao sindicato.

Presente de Natal às avessas

Um presente de Natal às avessas para a saúde cearense. Isso é o que tem ocorrido desde que o Grupo Kora chegou ao Ceará, após a compra da Gastroclínica, Otoclínica e Hospital São Mateus. A promessa de era gerar mais empregos, mas o que se vê é desrespeito e um tratamento desumano com esses profissionais que tanto tem se sacrificado em meio à pandemia da Covid-19.  Além de demissões em massa, o grupo está cortando dos trabalhadores o direito de comer e repousar nas jornadas de trabalho noturnas, sem prejuízo nas remunerações. O Sindsaúde Ceará tem recebido inúmeras denúncias, em especial de trabalhadores do Hospital São Mateus, o que motivou o pedido de uma mediação através do sindicato patronal da rede particular. Profissionais denunciam ainda que os assédios morais aumentaram e que os ambientes de trabalho se tornaram mais tristes e insalubres.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here