Calvário da saúde – Sindsaúde encena a Via Crucis dos trabalhadores da saúde do Ceará

165

A intervenção com teatro de rua foi realizada na manhã desta quarta, 13, na Avenida Antônio Sales. O objetivo foi denunciar a falta de valorização dos trabalhadores da saúde.

Na Semana Santa, o Sindsaúde Ceará escolheu o teatro de rua como ferramenta para sensibilizar a população. Trabalhadores da saúde e atores entraram em cena para mostrar o calvário da saúde no Ceará. Trabalhadores da saúde do nível médio, cansados, exaustos e desvalorizados, enfrentam uma verdadeira Via Crucis para conseguir garantir um reajuste digno nas negociações com os patrões da rede particular. Na encenação, além da simbologia da cruz pesada carregada pela profissional da saúde, sacrificada para o lucro dos patrões, tivemos trabalhadores acorrentados e outros usando a sua força de trabalho para garantir conforto aos patrões.

Os trabalhadores da saúde, que tanto tem se sacrificado desde o começo da pandemia de Covid-19, estão tendo seus direitos ameaçados pelos patrões da rede particular, que se negam a dar um reajuste digno a esta categoria. Nas negociações, o Sindsaúde já deixou claro que não irá aceitar reajuste inferior ao índice acumulado da inflação, que foi de 10,16%. Mas os gestores do Grupo Kora, que recentemente compraram três grandes hospitais cearenses (Gastroclínica, Otoclínica e São Mateus) que impor sua vontade e massacrar ainda mais os trabalhadores.

Durante o percurso do cortejo, acompanhado por uma banda de metais, foi feita uma parada em frente ao Hospital Otoclínica, quando a cena da trabalhadora sendo chicoteada pelo centurião enquanto carrega a pesada cruz foi encenada na entrada da unidade de saúde.

O ato foi transmitido ao vivo pela internet, ganhando grande repercussão nas mídias sociais e chamando a atenção de quem passava no local, sempre com manifestações de apoio da população. “Queremos chamar a atenção da população para esse tratamento desumano que os profissionais da saúde tem sofrido. Estamos em negociação e queremos reajuste pelo menos com reposição da inflação e a garantia de que nenhum direito será retirado” – afirmou Martinha Brandão. “Esperamos sensibilizar a população e os empresários da saúde para que tratem esses trabalhadores com a dignidade e o respeito que eles merecem. “Não podemos permitir que esses homens e mulheres, que tanto foram aplaudidos e chamados de heróis agora sejam crucificados” – concluiu.

 

Nesta quinta-feira, 14/04, o cortejo será realizado mais uma vez. Desta vez, a concentração será na Avenida Santos Dumont, na esquina com a Avenida Desembargador Moreira.

Confira imagens da Via Crucis da Saúde (Fotos: Cristhyana Abreu)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here