Marta Brandão: Heróis, lições e sequelas da pandemia*

460

2020. O ano que surpreendeu o mundo deixou a humanidade atônita. Mais de um milhão de mortes. Famílias desoladas. Medo em ascensão. Como um tsunami furioso, mas silencioso, a Covid-19 varreu vidas, implodiu economias… Expôs as mazelas mais nefastas do capitalismo, que produz riqueza para poucos com o adoecimento de muitos. Países que não investiram adequadamente na saúde pública e na redução das desigualdades provaram o gosto amargo da curva de óbitos crescer sem freio, sem dó.

E se a população, ou ao menos parte dela, teve chance de se isolar, o mesmo não ocorreu com os profissionais da saúde que, mesmo amedrontados, fizeram o caminho inverso. Foram para a linha de frente, de peito aberto, muitas vezes, sem os devidos equipamentos de proteção. Não à toa, ganharam status de heróis… Na batalha, muitos perderam a vida. Os sobreviventes carregam a dor da morte de amigos, colegas e familiares, sequelas que vão além do corpo físico.

Em defesa desses verdadeiros heróis, o Sindsaúde Ceará, sem descanso, buscou todos os meios, inclusive pelas vias judiciais, para assegurar a proteção dos trabalhadores que, finalmente, agora, pareciam ter o seu papel devidamente valorizado.

Mas junto com a curva de óbitos por Covid-19, caíram as certezas de que esta categoria heroica sairia desta pandemia valorizada. Em meio ao cansaço, com perdas e turnos dobrados, as mazelas pré-pandemia se revelaram tão resistentes quanto o vírus. Demissões, descaso com direitos assegurados na Justiça, falta de compromisso com a realização de concursos públicos e remunerações que passam longe de traduzir reconhecimento.

A lição que o vírus trouxe parece não ter sido aprendida e, enquanto uma segunda onda se desenha, os heróis se mantém a postos para colocar a vida em risco mais uma vez, enquanto aguardamos, cheios de esperança, a chegada da vacina. E não vamos esperar sentados. O momento é de lutar, mesmo no luto, contra o desmonte do SUS, pelo bom senso dos governantes, por dias melhores para os trabalhadores da saúde e por uma saúde verdadeiramente pública, e não entregue aos interesses privados, com qualidade para todos e todas.

* Publicado originalmente no Jornal O Povo, edição de 29/12/2020.
Link: https://mais.opovo.com.br/jornal/opiniao/2020/12/29/marta-brandao–herois–licoes-e-sequelas-da-pandemia.html

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here