Mesmo sob chuva, Sindsaúde realiza ato no São Mateus denunciando sobrecarga de profissionais

171

Dirigentes do Sindsaúde Ceará estiveram na manhã desta quarta-feira, 05/01, no Hospital São Mateus. Na ocasião, foi realizado um ato em solidariedade aos trabalhadores da saúde, que estão sendo massacrados pela gestão do grupo Kora, que comprou este hospital recentemente.  Inúmeras denúncias tem chegado ao Sindsaúde com desabafos de profissionais que não suportam mais tanta maldade da gestão. Além de sobrecarregados após uma onda de demissões, agora se veem obrigados a ir ao local de trabalho mesmo doentes, quando precisam validar atestados médicos.

“Está claro que esse hospital precisa fazer novas contratações, mas a gestão do grupo Kora não está ouvindo o apelo dos trabalhadores” – afirma a presidente do Sindsaúde, Marta Brandão. “Isso é um desrespeito com os profissionais da saúde e com os pacientes, que tem o atendimento prejudicado em meio a uma pandemia cruzada com uma epidemia de gripe” – continua. “Nós já pedimos mediação do sindicato patronal, mas como a situação não foi resolvida, nós vamos seguir denunciando e cobrando respeito e dignidade para esses trabalhadores” – afirmou.

Atestados médicos

Comunicado aponta mudanças para recebimento de atestados por meios eletrônicos, em 05/01.

Logo após o ato, profissionais do Hospital São Mateus divulgaram em mensagens um comunicado informando sobre mudanças na norma para validação de atestados médicos. A partir de agora, o trabalhador poderá enviar foto do atestado médico via whatsapp para o Sesmt(Setor de Medicina Ocupacional) em até 24 horas, sem contar sábados, domingos e feriados. A medida atende uma das demandas dos trabalhadores. Agora, falta resolver a questão da sobrecarga de trabalho, que persiste.

Entenda

Dentro de uma pandemia, com a ameaça de uma nova variante da Covid-19 e ainda enfrentando um surto de gripe que está lotando os hospitais no Ceará, os gestores do Hospital São Mateus, Gastroclínica e Otoclínica, comprados recentemente pelo Grupo Kora, estavam exigindo que os profissionais da saúde, em caso de doença, comparecessem para consulta com o médico do trabalho, apresentando atestado presencialmente no prazo de 24 horas. Pela Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, o prazo para apresentação de atestados é de três dias, podendo ser entregue por terceiros. “Com a pandemia, muitos gestores da saúde passaram a aceitar o envio do atestado por meios eletrônicos, assim como também passaram a disponibilizar consultas por telemedicina, com o objetivo de evitar circulação de trabalhadores doentes e proliferação de doenças como a Covid-19” – explica o assessor jurídico do Sindsaúde, Vianey Martins.

Além disso, muitos trabalhadores foram demitidos e não houve substituição. Agora, com muitos adoecimentos, os que ficam estão sobrecarregados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here