Mobilizações trazem de volta a esperança pela regulamentação do piso nacional da enfermagem

308

Dos três senadores cearenses, dois já manifestaram apoio à entrada em votação no Senado do PL do Piso da Enfermagem. O primeiro a manifestar publicamente apoio foi o senador Cid Gomes. Mais recente, foi o senador Tasso Jereissati. Só falta o senador cearense Eduardo Girão se manifestar sobre o PL que regulamenta o piso da enfermagem e institui a jornada de 30 horas semanais, bandeira de luta da categoria há mais de 20 anos. Toda essa articulação veio acompanhada de mobilizações que fazem parte da programação do mês da enfermagem.

No Cariri, as mobilizações tiveram repercussão na imprensa.

O Sindsaúde Ceará, junto ao Coren Ceará, Senece e outras entidades representativas dos profissionais da enfermagem estão realizando desde o início do mês de maio atividades para mobilizar a categoria pela votação do PL 2564, que institui o piso nacional da enfermagem e jornada de 30 horas semanais. As atividades tiveram início no dia 02/05, com visitas às bases nas unidades de saúde. Além de Fortaleza, receberam comissões de representantes do Sindsaúde, Senece e Coren Ceará municípios do Cariri, Sobral, Iguatu e Quixeramobim, entre outros. As atividades também se fortalecem nos meios virtuais, com debates ao vivo onde trabalhadoras e trabalhadores podem tirar dúvidas e se engajar nas mobilizações. No domingo, 16/05, uma carreata saindo do Centro de Fortaleza, percorreu várias ruas da cidade, passando em frente a unidades de saúde como o Hospital Leonardo Da Vinci, encerrando em frente ao HGF.

Pressão para que PL seja pautado

Para a presidente do Sindsaúde, Marta Brandão, é preciso aumentar a pressão nos senadores para que o projeto seja enfim pautado no Senado. “Diante das mobilizações e articulações feitas até agora, precisamos aumentar a pressão pelo apoio dos senadores, não apenas do Ceará, mas de todos os estados. Afinal, essa luta é nacional e precisamos de unidade e força para vencer essa batalha” – afirmou. O PL, se aprovado no Senado, segue para o Congresso, onde o desafio será ainda maior. “Vamos viver um momento de cada vez. A ordem agora é pedir o bom senso do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, para que paute o PL 2564. Só assim, vamos poder dar o próximo passo rumo a esta conquista tão esperada por enfermeiras, técnicas e auxiliares de enfermagem” – finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here