São Gonçalo – Sindsaúde pede na Justiça pagamento de verbas rescisórias

112
Ato realizado em frente ao Hospital Municipal em 06/12.

Após protesto em frente ao hospital municipal de São Gonçalo do Amarante, na segunda-feira, 06/12, o prefeito Marcelo Teles recebeu grupo de vinte trabalhadores, acompanhados da diretora do Sindsaúde, Regina Moraes, e do assessor jurídico, Vianey Martins, e se comprometeu a repassar, ainda nesta semana, à Justiça do Trabalho cerca de 2 milhões de reais para pagamento de verbas rescisórias dos trabalhadores da Fundação Leandro Bezerra, que fazia a gestão da referida unidade de saúde.

O valor deve ser usado para quitação das dívidas trabalhistas pleiteadas em ações. O prefeito optou por repassar os recursos diretamente à Justiça.

O Sindsaúde  realizou atendimento aos trabalhadores presencialmente nesta terça-feira, 07/12, no auditório da sede da Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, e passa a atender à distância quem quiser entrar na Justiça. O juiz da Vara de São Gonçalo disse que libera todos os direitos dos trabalhadores que entrarem com ação antes do dia 20, início do recesso. Cerca de duzentos trabalhadores foram demitidos em outubro, após mudança na gestão do Hospital Luiza de Alcântara e Silva e da UPA do Pecém.

Entenda

Após mudança na gestão do Hospital Municipal Luiza de Alcântara e Silva e da UPA do Pecém, em São Gonçalo do Amarante, cerca de 200 trabalhadores foram demitidos da Fundação Leandro Bezerra e ainda não receberam as verbas rescisórias nem o 13º salário.  A prefeitura trocou a empresa terceirizada que fazia a gestão destas unidades de saúde no último mês de outubro. As empregadas grávidas, mantidas em suas funções em decorrência da estabilidade assegurada em lei, estão com os salários atrasados e não receberam ainda a primeira parcela do 13º salário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here