Sindsaúde rejeita proposta de ACT do Monte Klinikum e Amil para 2022

214

Uma proposta do Sindsaúde Ceará foi entregue aos gestores em 30 de novembro de 2021, mas a resposta, que só chegou na última semana, traz uma proposta de reajuste que não repõe sequer a inflação.

O Sindsaúde Ceará rejeitou a contraproposta apresentada pelos gestores da Esho (Amil e Monte Klinikum), encaminhada na última semana, em resposta à proposta feita pelo Sindsaúde ainda em novembro do ano passado para o Acordo Coletivo de Trabalho de 2022.

Os gestores da Amil e Monte Klinikum propõem apenas 6% de reajuste nos salários e nas cláusulas econômicas, sendo que, nos salários, esse reajuste seria parcelado: 4% a partir de janeiro e o restante a partir do mês de julho.

A Diretoria do Sindsaúde avaliou a proposta, considerada um desrespeito com a categoria, que tanto tem se sacrificado nos últimos anos, principalmente com o enfrentamento da pandemia de Covid-19.

Em resposta à Esho, encaminhada nesta segunda-feira, 21/02, o Sindsaúde Ceará deixa claro que o parâmetro mínimo para reajuste de salário e benefícios é o INPC acumulado de 2021, que foi de 10,16%. Em caso de reajuste inferior ao acumulado da inflação, o Sindsaúde propõe que haja compensação financeira em outros itens econômicos. Desta forma, a negociação continua.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here