Câmara Municipal realiza audiência para debater campanha salarial dos trabalhadores da saúde privada

131

Campanha salarial não avança desde que grupos empresariais passaram a dificultar as negociações. O Sindsaúde quer reajuste mínimo de 10,16% para cobrir perdas com a inflação e manutenção de direitos, agora ameaçados.

Atendendo a pedido do Sindsaúde Ceará, a Câmara Municipal de Fortaleza realiza na segunda-feira, 09/05, às 9 horas da manhã, uma audiência pública para tratar sobre os impasses na campanha salarial dos trabalhadores da saúde da rede particular do Ceará. A audiência foi requerida pela vereadora Enfermeira Ana Paula.

As negociações para a Convenção Coletiva de Trabalho de 2022 não avançam. Os patrões apresentaram proposta inicialmente de 3% de reajuste e na última reunião uma nova proposta de 6%, índice que não cobre sequer a inflação acumulada em 2021, que foi de 10,16%.

Desde a chegada do Grupo Kora ao Ceará, a situação dos trabalhadores só tem piorado. O grupo comprou três grandes hospitais (São Mateus, Gastroclínica e Otoclínica) e agora faz pressão na mesa de negociação para retirar direitos dos trabalhadores, como é o caso do pagamento em dobro nos feriados e a licença de empregadas para acompanhar filhos ao médico.

O Sindicato patronal também quer voltar a obrigar trabalhadoras a dobrar plantões, o que hoje é proibido, de acordo com a última convenção da categoria. Os patrões também rejeitam propostas novas, inclusive aquelas que se propõem a oferecer mais proteção e cuidado às mulheres, que representam a grande maioria da categoria.

Outro grupo empresarial que também tem feito pressão nas negociações contra os direitos dos trabalhadores é o Grupo D’Or, que comprou o Hospital São Carlos.

“Os empresários precisam valorizar essa força de trabalho tão importante para toda a população. Quando uma trabalhadora da saúde não tem direito a uma remuneração digna e condições saudáveis de trabalho, a população também sente. Por isso, aumentaram tanto as reclamações de clientes contra o Hospital São Mateus, por exemplo” – afirma a vereadora Enfermeira Ana Paula Brandão.

“Nós vamos seguir reagindo e resistindo a esses ataques e vamos exigir do sindicato patronal que trate os trabalhadores com dignidade e respeito” – afirmou Martinha Brandão, presidente do Sindsaúde Ceará.  “Chega de lucrar explorando os profissionais e os clientes, que pagam caro para ter acesso a esses hospitais” – concluiu.

Audiência pública para tratar sobre os impasses na campanha salarial dos trabalhadores da saúde da rede particular do Ceará

Segunda-feira, 09/05, às 9 horas da manhã

Câmara Municipal de Fortaleza – Auditório Ademar Arruda

Participantes devem apresentar comprovante da vacina (no mínimo duas doses)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here